Entenda o #ChegaDeAssédio através da música

April 5, 2017

Fala meu heróis músicos!

 

Tudo bem? eu espero que sim.

 

Hoje está rolando na internet a hashtag #ChegaDeAssédio com uma imagem dizendo "mexeu com uma, mexeu com todas", muitos artistas e anônimos estão postando esta imagem em suas redes sociais, mas o que é isso afinal?

 

 

 

Algumas semanas atrás uma figurante da rede globo acusou o ator José Mayer de assédio sexual. A moça relatou que a meses o ator começou com elogios, depois com cantadas, até que a situação chegou ao extremo quando o mesmo tocou nas partes íntimas da atriz em um camarim. "Em fevereiro de 2017, dentro do camarim da empresa, na presença de outras duas mulheres, esse ator, branco, rico, de 67 anos, que fez fama como garanhão, colocou a mão esquerda na minha genitália", diz a figurinista no texto.
 

A Atriz também informou já ter dito claramente ao ator para não toca-la e que se isso tornasse a acontecer ela iria ao RH.

 

Hoje (04/04/2017) o ator soltou uma nota, assumindo o assédio e pedindo desculpas, confira a nota:

 

“Carta aberta aos meus colegas e a todos, mas principalmente aos que agem e pensam como eu agi e pensava:

Eu errei.

Errei no que fiz, no que falei, e no que pensava.

A atitude correta é pedir desculpas. Mas isso só não basta. É preciso um reconhecimento público que faço agora.

Mesmo não tendo tido a intenção de ofender, agredir ou desrespeitar, admito que minhas brincadeiras de cunho machista ultrapassaram os limites do respeito com que devo tratar minhas colegas. Sou responsável pelo que faço.

Tenho amigas, tenho mulher e filha, e asseguro que de forma alguma tenho a intenção de tratar qualquer mulher com desrespeito; não me sinto superior a ninguém, não sou.

Tristemente, sou sim fruto de uma geração que aprendeu, erradamente, que atitudes machistas, invasivas e abusivas podem ser disfarçadas de brincadeiras ou piadas. Não podem. Não são.

Aprendi nos últimos dias o que levei 60 anos sem aprender. O mundo mudou. E isso é bom. Eu preciso e quero mudar junto com ele.

Este é o meu exercício. Este é o meu compromisso. Isso é o que eu aprendi.

A única coisa que posso pedir a Susllen, às minhas colegas e a toda a sociedade é o entendimento deste meu movimento de mudança.

Espero que este meu reconhecimento público sirva para alertar a tantas pessoas da mesma geração que eu, aos que pensavam da mesma forma que eu, aos que agiam da mesma forma que eu, que os leve a refletir e os incentive também a mudar.

Eu estou vivendo a dolorosa necessidade desta mudança. Dolorosa, mas necessária.

O que posso assegurar é que o José Mayer, homem, ator, pai, filho, marido, colega que surge hoje é, sem dúvida, muito melhor."

 

Mas o que isso tem a ver com música?

 

Bom, não é de hoje que uma parte significante da sociedade está lutando por questões relacionada a gêneros. A algum tempo atrás existiu um forte debate sobre a existência ou não de uma cultura do estupro no Brasil.

 

Nessa época o DiscotecaTV fez um estudo sobre como as mulheres são relatadas nas músicas com o passar das décadas. Para ver o vídeo clique na imagem ou aqui

 

E é claro que queremos saber a sua opinião, não deixe de comentar.

 

Um beijo e até a próxima!

Please reload

Posts Recentes
Please reload