Novo Disco de Gilberto Gil - Ok Ok Ok (Análise)

October 1, 2018

 

Olá galera,

Tudo bem com vocês? Eu espero que sim.

 

Para nosso bel prazer, o grande Gilberto Gil lançou no dia 17 de agosto o seu mais novo álbum, com 15 músicas autorais, sendo 3 faixas bônus e 12 inéditas. Gil não fazia um disco inédito desde "Fé na Festa" (2010).

 

Para muitos críticos, Gil é um dos compositores brasileiros mais completos, sem dúvida eu pertenço a esse time. O que mais me impressiona no Gil (e esse disco reluz muito bem isso) é a incrível capacidade de fazer coisas complexas soarem extremamente simples, na verdade, a percepção do que é simples e o que é complexo simplesmente deixa de existir quando você aperta o play.

Partindo dessa premissa irei fazer uma crítica faixa a faixa do disco.

 

1. Ok Ok Ok

 

Música que dá nome ao disco e também o primeiro single, mas além disso, essa canção dá o teor da obra. Gil faz uma reflexão sobre o atual costume (potencializado pela internet) das pessoas precisarem a todo tempo emitir opinião, sobre tudo. Ele também aborda o fato das pessoas exigirem essa postura dele na busca de um “messias” para ser o salvador.

 

2. Na Real

 

Dá continuidade a primeira canção, colocando em foco a dicotomia de que só através do pensamento em nós (você) conseguiremos acesso a empatia, apesar da mensagem parecer egoísta, ele explica que quando observamos os sentimentos que temos com nossos entes queridos, achamos a chave para entender como as outras pessoas se sentem. Essas relações de Gil vão ser a temática do disco. A música traz um groove bem construído, com linhas de Fender Rhodes, baixo elétrico e guitarras bem swingadas.

 

3. Sereno / 4. Uma coisa Bonitinha

 

Sereno é o nome do mais novo (décimo) neto de Gil, o compositor nesse sambinha bem simpático, faz uma homenagem ao mais novo filho de Bem Gil com a esposa Ana Cláudia Lomelino. A música também cita os outros dois filhos do casal. O violão de Gil é bem presente nesta canção, também conta com a participação do próprio Sereno dando risadas e também de outros netos no coro. Um samba bem descontraído com uma linha tênue entre música infantil e um samba sofisticado.

A mesma temática é seguida em “Uma Coisa Bonitinha” que homenageia os filhos, netos e bisnetos do artista. Com participação de João Donato e uma linha de sopros lindíssima, “Uma Coisa Bonitinha” nos leva a recordar as coisas mais legais da nossa infância.


 

5. Quatro Pedacinhos

 

Durante sucessivas internações a médica Roberta Saretta pediu para que tirassem quatro pedacinhos do coração de Gil para uma biópsia, o compositor achou isso muito poético e logo começou a fazer a canção para homenagear a doutora. O resultado é simplesmente genial, a canção brinca com a finalidade de cada pedacinho que foi retirado e agradece a médica. Um samba-canção de coração (literalmente).

 

6. Ouço


Mas uma vez Gil traz uma mensagem pacifista, mostrando que nossos laços amorosos é que nos humaniza. Com uma pegada meio “rock and roll”, ouço é a música mais pesada do disco, guitarras com efeitos, riffs de baixo e linhas percussivas bem marcadas dão um tom bem diferente do resto do disco. O Clipe foi gravado durante a copa do mundo, e mostra várias pessoas, de várias nações, conectadas por um esporte.

 

7. Lia e Deia

 

A música é uma homenagem a atriz Maria Ribeiro e a jornalista Andréia Sadi. O já falecido jornalista, Jorge Bastos Moreno costumava fazer encontros em sua casa reunindo pessoas do seu ciclo social. Em um desses encontros, Gil mostrou uma música que tinha feito para Roberta de Sá, Maria Ribeiro disse que também queria uma música, Andréia Sadi também solicitou uma, então Maria ratificou: “uma música para as duas”. Gil não só cumpriu a missão como fez uma lindíssima balada para “Lia” (apelido carinhoso que o compositor deu para Maria Ribeiro) e “Déia” (Andréia Sadi).

Uma das músicas mais bonitas do disco.

 

Antes de continuar, se você gosta de música de qualidade, lembre-se de passar na Discoteca Store e ver os novos produtos da nossa loja. O quadro Garota de Ipanema está em promoção para leitores do site, é só clicar na imagem abaixo ou aqui para comprar.

 

 

8. Jacinto

Gil teve contato com o centenário Jacinto Honório da Silva Filho (com uma saúde de dar inveja). Gil teve a brilhante ideia de fazer uma música para Jacinto, contando como ele se sentia. "Jacinto já sinto aqui no meu peito..." Que sacada!

 

9. Yamandu

 

Uma homenagem ao grande violonista Yamandú Costa (o violonista também toca na faixa), essa música mostra como Gil é um violonista de mão cheia, coisa que geralmente passa despercebido.

 

10. Tartaruguê

 

Um dos netos de Gil era vidrado nas "Tartarugas Ninjas", Gil conta que os personagens eram uma espécie de religião para seu neto, isso despertou um fascínio em Gil que resolveu fazer uma brincadeira entre a “religião” da criança e a do próprio Gil. Novamente João Donato participa e mais uma vez somos arremessados da melhor maneira possível em nossa infância.

 

11. Sol de Maria

 

Música para sua bisneta: Sol de Maria. Uma canção de boas vindas para iluminar os passos da bisneta (e que canção!)

 

12. Prece

 

Gil já disse que essa é uma das preferidas dele, dentro do disco. Com um arranjo minimalista (apenas guitarra e voz), a música soa como uma oração e ao mesmo tempo como votos de casamento. Sem dúvida é um canção lindíssima.

 

13. Afogamento

 

A música feita para Roberta de Sá, que já mencionamos acima, na minha opinião a melhor música do disco. Um dueto com a própria Roberta, linda letra, lindo arranjo, linda interpretação, uma combinação de bambear as pernas.

 

14. Kalil

 

Dr Roberto Kalil é um dos cardiologistas mais importantes do país, como é mencionado na música, entre seus pacientes tem figuras ilustres como os ex-presidentes Lula, Dilma e o atual Michel Temer. Foi quem tratou de Gil e por isso recebeu a homenagem, uma linda homenagem (diga-se de passagem). A canção traz linhas muito bem construídas de baixo e violão, e umas sacadas na letra bem legais como essa:

 

“E se o paciente diz que dói, que dói
O doutor então vira super-herói
É Batman lutando contra a Super Bactéria
Que afinal ele pega, mata e destrói”

 

15. Pela Internet 2

 

Sinceramente, para mim o disco acaba na décima quarta música, essa canção é uma nova roupagem de “Pela Internet” que é uma das poucas músicas que eu não gosto do Gil. “Pela Internet 2” entrou para o hall das que eu também não gosto rsrs.

 

Bom galera, esse foi o post de hoje, escutem o disco e me digam nos comentários qual vocês mais gostaram.

 

Um beijo e até a próxima

tchau!.

Please reload

Posts Recentes
Please reload